Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
page
post
Entre em contato pelo Telefone(41) 2626-1106 Entre em contato pelo WhatsApp(41) 98787-7369

Tudo sobre Mielomeningocele: diagnóstico, causas e cirurgia

Buscar entender tudo sobre Mielomeningocele é uma tentativa de centenas de famílias que aguardam o nascimento de um bebê diagnosticado com a malformação. Apesar de não termos todas as respostas, podemos ajudar com as principais informações sobre ela.

A Mielomeningocele é uma malformação congênita da coluna vertebral do feto que ocorre no início da gravidez.

Isso faz com que os ossos da coluna do bebê não se desenvolvam adequadamente. Desse modo, crianças que nascem com o defeito podem desenvolver problemas graves, como hidrocefalia e paralisa cerebral.

Entretanto, é possível realizar o diagnóstico durante a gravidez. A identificação da malformação de modo precoce oportuniza a realização da Cirurgia Fetal de correção, minimizando as sequelas.

 

Tudo sobre Mielomeningocele: o que é

O defeito consiste no não fechamento da parte mais baixa do tudo neural – estrutura onde se origina a medula e o cérebro do feto.

A partir disso, uma bolsa nas costas do bebê é formando, deixando expostas a medula, as raízes nervosas e as meninges.

mielomeningocele

Assim, consideramos a Mielomeningocele a manifestação mais grave de espinha bífida, pois a condição deixa a medula espinhal exposta ao líquido amniótico.

Quando não diagnosticada precocemente, as principais sequelas deixadas pela falha são:

  • Dificuldade ou ausência de movimentos nas pernas;
  • Fraqueza muscular;
  • Perda de sensibilidade para calor ou frio;
  • Incontinência urinária e fecal;
  • Malformação nas pernas ou pés.

Outros problemas, como dificuldade para respirar ou engolir, também são comuns em crianças nascidas com Mielomeningocele.

Estes ocorrem devido à alteração cerebral chamada malformação de Chiari tipo II, que se desenvolve com a alteração (herniação) de uma parte do cérebro.

 

Causas e como prevenir

A Mielomeningocele não tem uma causa específica comprovada. O que as pesquisas mostram é que fatores genéticos, como histórico de malformações da coluna na família, podem indicar o aparecimento da falha.

Além disso, fatores maternos como diabetes, uso de anticonvulsivantes durante a gestação e a nutrição inadequada, também podem aumentar a chance de o bebê desenvolver a malformação.

Assim, o principal meio de prevenção da Mielomeningocele ainda é a suplementação de ácido fólico antes e durante a gravidez.

Isso pois, além de evitar a malformação, o ácido fólico ajuda a prevenir o parto prematuro e outros defeitos abertos do tubo neural.

 

Como acontece o diagnóstico da Mielomeningocele

Parte de saber tudo sobre Mielomeningocele é entender como acontece o diagnóstico correto da malformação. Neste sentido, ele pode ser feito ainda durante a gestação, através da combinação de exames laboratoriais e da realização do exame de ultrassom, entre as 18.ª e 22.ª semanas de gravidez.

Do mesmo modo, a ecografia morfológica ajuda a identificar os sinais sugestivos da malformação, que podem causar a dilatação dos ventrículos cerebrais (hidrocefalia) e alterações na cabeça do feto perceptíveis no exame de imagem.

Além disso, as alterações nos ossos frontais e no formato do perímetro da cabeça formam o sinal do limão, que serve como alerta para uma investigação mais detalhada.

O diagnóstico precoce é fundamental, pois permite a realização da cirurgia fetal intrauterina – que deve ser realizada antes da 27.ª semana de gestação.

Caso a correção não ocorra no período pré-natal, o diagnóstico acontece logo ao nascimento, com a visualização de uma espécie de bolsa nas costas do bebê.

 

Qual o tratamento para Mielomeningocele

Nos casos em que não é possível identificar a malformação com tempo hábil para a realização da Cirurgia Fetal, o tratamento inicia logo nas primeiras 48 horas após o nascimento.

É importante ressaltar que tanto a Cirurgia Fetal, quanto a realizada após o nascimento, corrigem a lesão na coluna do bebê mas não tratam das sequelas.

Por outro lado, as crianças submetidas à Cirurgia Fetal de Mielomeningocele tem mais chances de desenvolverem independência funcional e apresentam um melhor prognóstico no seu desenvolvimento.

Além disso, o procedimento intrauterino diminui a ocorrência de problemas posteriores.

Com isso, a criança possui menos riscos de apresentar herniação do encéfalo posterior, menor necessidade de procedimentos cirúrgicos de derivação ventricular e melhor função motora aos 30 meses.

 

Cirurgia intra uterina de correção da Mieolomeningocele

Para a correção intrauterina, abrimos a cavidade abdominal da gestante, expondo o útero. Este, por sua vez, também é aberto para a realização da Cirurgia Fetal de Mielomeningocele.

Desse modo, o procedimento oferece uma melhor visualização do feto e da malformação, permitindo uma abordagem semelhante à da cirurgia pós-natal. Depois da cirurgia, a gestante permanece internada durante três ou quatro dias, para observação e controle da atividade uterina.

Hoje, muitos são os resultados de casos de cirurgia de Mielomeningocele que possibilitam aos pacientes um crescimento saudável e mais qualidade de vida para toda a família.

Para entender mais detalhes de tudo sobre a Mielomeningocele, baixe grátis o Guia completo para mães com bebês diagnosticados com Mielomeningocele ou entre em contato com nossa equipe.

Scroll Up