FAQ

Um pequeno número de gestações apresenta alterações detectáveis ao exame ultrassonográfico (ecografia). A maioria destas não tem um significado clínico relevante, entretanto algumas exigem um acompanhamento bem de perto com ecografias seriadas ou outros exames para a sua melhor avaliação. Eventualmente, pode-se detectar situações que necessitam de alguma intervenção terapêutica fetal que pode ser cirúrgica. Nestes casos, uma equipe multidisciplinar capacitada a abordagens no pré-natal, durante o parto e/ou no pós-natal com ampla interação com o seu obstetra é fundamental na obtenção de um melhor resultado.

A internet e seus sites de pesquisa (o Google é o mais famoso) tem praticamente toda a informação relacionada às condições do feto e eventuais intervenções. Entretanto, muitas informações aí contidas estão distorcidas ou superlativadas. Ademais, casos bizarros com desfechos incomuns (bons ou maus) têm maior visibilidade e, portanto, são frequentemente interpretados com regra quando na verdade são exceção. A melhor coisa a se fazer é buscar opinião de profissionais abalizados. Converse com o seu obstetra do pré-natal. Caso achem necessário, estamos à disposição para colaborar no acompanhamento do caso.

Geralmente, as doenças passíveis de abordagem intrauterina têm uma época certa durante a gravidez para que a correção possa ser aplicada. Passado este momento, usualmente não há benefícios que superem os riscos ao feto. Este é um dos vários aspectos que são claramente discutidos antes da abordagem por nossa equipe.

Toda a Cirurgia Fetal traz riscos para o feto e para a continuidade da gestação. Por isso, antes de ser realizada, é feita uma análise minuciosa dos eventuais riscos comparando-os com os potenciais benefícios. O procedimento só é indicado e realizado se não houver dúvidas que os benefícios superam os riscos.

O objetivo de qualquer procedimento cirúrgico é sempre o mais ambicioso possível. Entretanto com muita frequência não é possível a correção completa do problema fetal, mas sim, preservar a vida do feto e aumentar as chances de sobrevida até que uma (ou eventualmente mais de uma) cirurgia no pós-natal possam corrigir definitivamente o problema. Em outras situações, consegue-se estacionar e diminuir a intensidade das sequelas que ocorreriam caso a abordagem pré-natal não fosse feita.

A nossa equipe tem como diferencial o seu aspecto multidisciplinar, contando com especialistas em Cirurgia Pediátrica e Urologia Pediátrica para, a critério dos pais do bebê, dar continuidade ao seguimento e tratamento pós-natais. Também nos colocamos à disposição para interagir com qualquer equipe escolhida para continuar o tratamento.

Scroll Up