Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
page
post
Entre em contato pelo Telefone(41) 2626-1106 Entre em contato pelo WhatsApp(41) 98894-6221

Um dia na vida de um Cirurgião Fetal: com Dr. André Bradley

cirurgiao-fetal

Lidar com o emocional de pessoas que estão vivenciando tratamentos intrauterinos é, sem dúvida, um dos maiores desafios do Cirurgião Fetal.

Embora a incidência de malformações seja alta, e as abordagens cirúrgicas estejam cada vez mais acessíveis, diagnósticos fetais são algo para o qual não somos preparados.

Assim, o médico precisa estar pronto para atuar diante dos mais diversos contextos familiares e pessoais. Prestar um atendimento acolhedor é fundamental para o sucesso dos tratamentos.

Hoje viemos contar sobre esses desafios. E mostrar um pouco dos bastidores dos momentos que antecedem as Cirurgias Fetais realizadas pelo Dr. André Bradley e seus colegas de equipe.

A preparação para uma Cirurgia Fetal

Para fazer esse texto, o Dr. André começou contando algo que considera fundamental para ser um Cirurgião Fetal: “A humildade, chave mestra para que as coisas funcionem”.

Cirurgias Fetais envolvem quadros graves, delicados e sensíveis. Mesmo com toda a técnica, conhecimento e tecnologia, as abordagens sempre oferecem riscos para o feto e para a gestante.

Por isso, se os médicos forem arrogantes, será muito difícil lidar com um caso que não deu certo. E a melhor forma de receber o sucesso é estando preparado também para o insucesso.

Antes de uma Cirurgia Fetal, a equipe médica tem a certeza de que preparou tudo o que é humanamente possível para ter êxito.

Mas, é fundamental deixar claro para os pais, que pode dar errado. Nesse sentido, deve ser inquestionável que os benefícios do tratamento superem os riscos.

Cirurgião Fetal: a caminho de um procedimento

Cirurgias Fetais podem acontecer a qualquer momento. A imprevisibilidade, que inviabiliza programações agendadas com precisão, acontece por duas razões:

Na maioria dos casos, existe um limite máximo de idade gestacional para que uma correção seja possível. Assim, a partir do diagnóstico, estamos sempre correndo contra o tempo.

Somado a isso, entraves burocráticos ligados à aprovação das cirurgias por Planos de Saúde, SUS e Hospitais tornam as liberações de procedimentos demoradas.

Por isso, quando um procedimento fetal é aprovado, a mobilização para operar deve ser orquestrada com muita agilidade. Geralmente, de um dia para o outro.

Todas as cirurgias são feitas por uma equipe multidisciplinar, formada pelo Cirurgião Pediátrico, Especialista em Medicina Fetal, Anestesiologista, Cirurgiões auxiliares e Instrumentador Cirúrgico.

O momento da Cirurgia Fetal

Minutos antes do procedimento, a equipe médica avalia a posição do feto, da placenta e faz o planejamento do local da entrada.

Dependendo dessas posições, é necessário fazer manobras de compressão manual ou alterar a forma de abordagem.

Quando tudo está favorável, é feita a sedação e a anestesia local na gestante. Em procedimentos que exigem intubação do feto, a inserção do fetoscópio é feita próxima de sua face.

É como intubar uma pessoa, mas sem poder segurar a cabeça. O local do acesso não pode ser alterado, então a precisão deve ser máxima. Nesse momento, a equipe só tem uma chance.

Por isso, é melhor investir tempo a mais para fazer considerações, do que chegar à conclusão de que o acesso está ruim.

Quando há divergência de opiniões, nenhum membro da equipe impõe uma situação, até que todos cheguem a um denominador comum.

Acesso para realização da cirurgia

Pode acontecer de uma cirurgia ser cancelada até que se tenha convicção sobre o melhor acesso ao feto. Se as dúvidas persistirem, os planos podem mudar.

Pode ocorrer, por exemplo, de o feto estar tão bem encaixado na pelve, de tal forma que é impossível acessar sua boca. Já aconteceu um cancelamento, após 4 horas de preparação, devido ao contexto de acesso inseguro.

Quando essa manobra está favorável, o foco é localizar o polo cefálico, a face do feto e atingir a boca em uma boa angulação para que o fetoscópio adentre com facilidade à laringe e na traqueia.

Procedimentos pós Cirurgia Fetal

Os dias seguintes são sempre de acompanhamento próximo da gestante e do feto, em regime de plantão. Qualquer alteração é alerta para o contato imediato da família com o Cirurgião Fetal.

Após uma cirurgia de sucesso, continua sendo importante lembrar: se der tudo certo, uma situação “muito ruim” será transformada em um caso de “mais bem tratável”.

Todo cuidado para não criar expectativas em excesso. Na maior parte dos casos, o tratamento intrauterino é apenas a primeira etapa de muitos outros cuidados especiais.

Por isso, todo o processo é guiado por um atendimento humanizado, personalizado e multiprofissional, visando cobrir todas as necessidades das pacientes.

Se você gostou desse artigo, aproveite para conhecer alguns casos reais de Cirurgias Fetais realizadas pela nossa equipe em Curitiba.

Scroll Up
Close Bitnami banner
Bitnami